A Menina Que Roubava Livros (Markus Zusak)


Esse livro estava na minha estante há mais de um ano, mas eu sempre ficava adiando sua leitura e passando outros na frente. No dia em que finalmente decidi que iria ler ele, o filme passou na tv. Fiquei bem na dúvida se assistia ou não (queria ler o livro primeiro), mas no final das contas, acabei não resistindo e o resto vocês já devem imaginar né. Eu já sabia como a história terminava (peguei um spoiler com um amigo meu ~ não façam isso em casa crianças, haha), só que eu não me lembrava direito como ele acabava, então, depois que assisti o filme lembrei. Isso deveria ter me desanimado um pouco, só que isso acabou foi me animando mais ainda, até porque, eu amo história que se passam durante a Segunda Guerra Mundial, hehe.

A história



A Menina Que Roubava Livros é um livro que se passa na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Nossa protagonista se chama Liesel Meminger e tudo começa quando sua mãe, que era comunista e perseguida pelo nazismo, envia ela e o irmão para um casal que vive em um subúrbio podre em um cidade alemã. Infelizmente, seu irmão acaba morrendo no trajeto e foi esse acontecimento que fez a Morte e Liesel Meminger se cruzarem pela primeira vez. Desde então, a Morte acompanha os passos da garota de 1939 a 1943, e a história da ladra de livros será contada por ela, a Morte.

Quando Liesel chegou à rua Himmel, ela ainda não sabia ler. Mas, durante suas noites de pesadelos, ela tenta compensar seu medo e a solidão, que sentia do irmão e da mãe, tendo aulas de leituras com seu pai adotivo, Hans Huberman. O primeiro livro que ele lê para a garota é o primeiro que ela havia roubado na sua vida. No dia do enterro de seu irmão, o coveiro deixou cair um livro na neve que se intítulava como "O Manual do Coveiro", e esse foi o primeiro de uma série que levou a nossa ladra de livros a surrupiar outros nos próximos anos seguintes. Em tempos onde livros eram queimados em grandes fogueiras, por serem considerados contrários à ideologia nazista daquela época, a garota os furtava e, algumas vezes, os lia na biblioteca do prefeito da cidade. 

Sua mãe adotiva trabalhava lavando e passando roupas para algumas famílias, mas, quando a guerra começou a avançar mais, as coisas começaram a ficar mais complicadas e apetadas. Eis que algo chega à casa dos Huberman numa noite desses tempos difíceis; um judeu. Rosa, mesmo sendo rigorosa e fazendo vista grossa, abriga Max em sua casa, mesmo sabendo que a qualquer momento ele poderia ser descoberto e assim, fazer todos eles ser considerados como traídores. A vida era um pseudo-realidade criada em torno de palavras ditadas por Hitler na Segunda Guerra Mundial, e Liesel assistia à toda essa euforia ao lado de seu melhor amigo Rude, um garoto de cabelos cor de limão que se viu obrigado a entrar na Juventude Hitlerista, além de ajudar seu pai a esconder um judeu no porão, onde ele escreve seus livros artesanais e, às vezes, luta com o próprio Führer.

Essa é aquela história que, no começo, você pode até achar chata, mas que, ao passar dos capítulos, você passa a amar tanto os personagem que acaba se apegando muito à eles. Sim, eu me apeguei demais a Liesel, Hans, Rude, Max, e até mesmo a Rosa e seu mal humor, hehe. Apesar de já saber como a história iria terminar (a própria narradora da história, a Morte, já nos deixa uma prévia do que vem pela frente), eu acabei sim ficando bem tocada com o que aconteceu. A roubadora de livros me fez ver o quanto uma simples pessoa pode tocar o coração de várias outras ao seu redor. Por mais tocante, profundo, meláncolico e triste que o livro seja, ele me fez ver o quanto palavras manipuladas e ditas por uma pessoa perversa, pode acabar com o nosso mundo. Não com o mundo inteiro, mas sim com o mundo ao nosso redor, com as pessoas as quais mais amamos.

A Menina Que Roubava Livros que roubou o meu coração



"Eu tento ignorar, mas sei que tudo isso começou com o trem, a neve e meu irmão tossindo. Roubei meu primeiro livro naquele dia. Era um manual para cavar sepulturas, e eu o roubei quando estava a caminho da rua Himmel..."

Com uma história pra lá de tocante, A Menina Que Roubava Livros roubou o meu coração. Foi muito difícil dizer adeus a todos os personagens; Rude Steiner e seus cabelos cor de limão, Hans Huberman e seu acordeão, Max Vandenburg e suas lutas contra o Führer no porão, Rosa Huberman e seu mal humor, e até mesmo Frau Holtzpfel com suas cuspideiras e Ilsa Hermann, a mulher do prefeito. Mas, a personagem que mais foi difícil dizer adeus, com certeza, foi a roubadora de livros, que como eu já disse, roubou meu coração e me arrancou lágrimas com sua linda história.

A Edição



Esse livro na verdade é de uma amiga minha. Peguei ele emprestado há um tempinho já, mas só fui lê-lo agora. A edição dele é uma versão mais resumida da história, já que ela ganhou ele do governo. Pelo que eu já vi do livro com a versão completa da história, esse segue praticamento o mesmo padrão da edição; páginas amareladas, com as divisões dos capítulos apresentando os acontecimentos que serão apresentados nele e, o que eu mais gostei, com as páginas do livros artesanais que o Max fazia. As diferenças entre eles, é claro, é o tamanho e a grossura, já que esse é uma versão econômica, mas acho que são só essas mesmo.


A menina que roubava livros e que também roubou o meu coração 



Os capítulos são apresentados assim :)


Algumas páginas dos livros artesanais do Max *-*


Mais uma, porque sim u.u




"Quando a Morte conta uma história, você deve parar para ler."


Uma bebida quentinha pra acompanhar ^^


Título: A Menina Que Roubava Livros | Autor: Markus Zusak | Editora: Intrínseca | Páginas: 384 | ISBN: 978-85-98078-37-3

Adicione: Skoob | Goodreads

Quem aí já leu? O que achou? Tem vontade ou ficou curioso?

Até a próxima, pessoal! :*

Comente com o Facebook:

14 comentários:

  1. Oi, Andressa. Fico realmente muito feliz que você tenha gostado do livro, isso me faz pensar se eu não tenha algum problema porque todo mundo que leu gostou, mas eu não consegui sair do capítulo 8, e olha que eu tentei ler duas vezes e parei no mesmo lugar. Meu problema com livros é que se o começo não me cativa, eu já abandono logo, não fico tentando enfiar goela abaixo, sabe? Então por isso, aquele começo que foi beeeem frustrante, acabei não lendo a história. Mas fiquei apaixonada por O Mensageiro, outra obra do autor, que com certeza é melhor do que essa rsrs brincadeira!
    Beijo.
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo Miriã! É uma pena que não tenha gostado dele. O começo é bem lento mesmo e eu também demorei um pouquinho nele, mas posso afirmar que vale muito a pena a leitura.
      Beijo :*

      Excluir
  2. Amei tudo sobre a sua postagem: as fotos estão maravilhosas, a edição é um capricho e os comentários são recomendações que, apesar de ser uma leitura de primeira viagem em seu blog, posso confiar. ❤

    ResponderExcluir
  3. Eu li esse livro faz muito tempo e aconteceu o mesmo comigo: o começo é bem parado e deu um desânimo pra continuar, mas consegui hahaha gosto muito dessa temática de fatos históricos em livros e personagens fictícios, como O menino do pijama listrado.
    Amei demais suas fotografias, que câmera você usa?

    Beijos,
    ahamare.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro essa temática e amo 'O menino do pijama listrado'. Na verdade, amo qualquer história que tenha como cenário a 2ª Guerra Mundial, hehe ^^
      Ah, obg chuchu <3 Pra fotografar eu uso a câmera do celular mesmo :)
      Beijos :*

      Excluir
  4. Ainda não li o livro (moro no interior e aqui não tem livrarias), mas vi o filme e sou apaixonada por ele, é daqueles que dá vontade de ver sempre. <3 <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também sou apaixonada no filme e olha que só fui assistir ele esses dias, mas amei logo de cara, hehe. Poxa, que pena que por aí não tem nenhuma biblioteca, mas quando for possível, leia o livro ^^
      Beijos :*

      Excluir
  5. Eu ainda não tiver a oportunidade de ler ao livro, apesar de te assistido ao filme e me emocionei muito! É uma história linda e tão emocionante, é uma das minha favoritas! Ainda não tinha visto o interior da edição dele, é tudo muito incrível, ainda mais essa páginas artesanais. <33
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas páginas artesanais são o que eu mais gostei no livro, hehe. A história é linda mesmo, e, tanto o filme quanto o livro, se tornaram os meus favoritos <3
      Beijos :*

      Excluir
  6. eu amo esse livro, é um dos meus preferidos.
    amei sua forma de resenha-lo e amei as fotos
    amei o seu blog. estou seguindo <3
    http://dose-of-poetry.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que tenha gostado chuchu *-*

      Excluir
  7. Mulher, acredita que eu nunca tive a mínima vontade de ler esse livro? Mas, de verdade, a tua resenha me deixou bem curiosa. Eu não curto muito histórias ligadas a Guerra, mas sei lá, de todas as resenhas que já li desse livro, essa foi a única que realmente me chamou atenção e me deixou com vontade de ler, sabe? Então claro que amei a resenha e as fotos tão uma gracinha. <3
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou florzinha ^^ Fico muito feliz em saber que minha resenha te deixou com vontade de ler o livro :)

      Excluir

Deixe um comentário, eu irei adorar saber o que achou sobre o post! ❤
Não se esqueça de clicar na caixinha "Notifique-me" para saber qual foi a minha resposta!